Denunciado no “Pandora Papers”, Guedes diz a deputados que é inocente

Guedes e Campos, presidente do BB, têm empresas em paraísos fiscais para burlar impostos

Nesta terça-feira, 23, prestando depoimento às comissões da Câmara Federal, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou  que tem uma boa relação com os deputados e que “não tentou evitar comparecer a uma audiência na casa para explicar movimentações financeiras no exterior”. Guedes, como se sabe, é investigado no escândalo das “Pandora Papers”. Homem de confiança de Jair Bolsonaro, o banqueiro está denunciado na reportagem mundial coordenada pelo Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ).

Em outubro último, como se sabe, a revista Piauí e o site Poder360 revelaram a existência de empresas offshore em nome de Guedes e do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. A medida é utilizada por especuladores, bilionários fraudadores e investidores internacionais, para burlar as leis e não pagar os impostos correspondentes, em seus países, sobre os imensos lucros que obtêm.

O banqueiro está sendo ouvido pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados. Ele tenta explicar suas movimentações financeiras anormais no exterio,r através de offshore em paraíso fiscal. Offshores são empreendimentos ou contas bancárias abertas fora do país de origem do proprietário.

Conta secreta: 9,5 bilhões de dólares

As investigações do Pandora Papers revelaram que Paulo Guedes mantém mais de 9,5 milhões de dólares em uma empresa nas Ilhas Virgens Britânicas. Alkiás, como revelaram as investigações jornalísticas, desde que assumiu o cargo, o ministro viu seus investimentos saltarem de 37 milhões de reais para 51,3 milhões de reais.

A convocação do ministro de Bolsonaro foi pedida pelos deputados Kim Kataguiri (DEM-SP), Paulo Ramos (PDT-RJ), Elias Vaz (PSB-GO) e Leo de Brito (PT-AC). Os requerimentos para a convocação foram aprovados no mês passado pelas duas comissões. Por ter sido convocado, o ministro agora foi obrigado a comparecer.

Fontes: Agência Câmara de Notícias, Revista Piauí, Estadão e GZH. Edição de Imprensa SindBancários. Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados.

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER