100 dias, sem nada no Banrisul

No Banrisul, banco público, os diretores costumam fazer tudo que o governo de plantão manda. Estamos falando do governador José Ivo Sartori e do presidente do Banrisul, Luiz Gonzaga Veras Mota. O segundo age como se estivesse a imitar cada gesto do primeiro. Se Sartori diz: tem que reduzir custos das empresas estatais, Gonzaga vai lá e fecha caixas, prejudica o atendimento, faz com que a população fique mais tempo em filas e acabe reclamando da ineficiência do Banrisul.

Tudo para dizer que há uma grande crise no Estado e que é preciso vender empresas estatais. Nós sabemos que a venda de empresas estatais, mesmo que houvesse milhares delas, não irá resolver o problema fiscal do Estado. Aliás, dívida histórica que começou lá atrás com o governo Britto, do mesmo partido do atual governador, o PMDB.

O presidente Luiz Gonzaga assumiu em 16 de abril e mantém uma postura de estátua. Nem se colocarmos uma moedinha, ele se movimenta. Façamos as contas. Até o próximo sábado, 25 de julho, são 100 dias sem abrir a boca, tapando os ouvidos e fechando os olhos para os Banrisulenses e para os clientes do banco.

São 100 dias sem resposta, sem direção, sem diálogo, sem nada, como mostra a nossa campanha estadual e o nosso card que ilustra essa matéria. O SindBancários e a Fetrafi-RS já haviam solicitado mesa de negociação em 7 de abril. Até esta quinta-feira, 23/7, foram 104 dias sem respostas (leia aqui). Nada de informação sobre abertura de capital da subsidiária Banrisul Cartões, sobre o Plano de Carreira, novo concurso e a reabertura do processo de migração para os novos planos da Fundação Banrisul.

Presidente do Banrisul, os Banrisulenses têm um lembrete a te fazer. O senhor tem a caneta na mão. O senhor não gostaria de ter sua gestão marcada pela precarização do Banrisul nem ser o responsável pela dilapidação do patrimônio público. Também não gostará de ficar conhecido como o presidente do Banrisul que entregou o banco público dos gaúchos para algum banqueiro que não conhece nada sobre o banco, nada sobre a nossa cultura, nada sobre a nossa história.

Senhor presidente, abre o teu olho. A Campanha Salarial está chegando. Os bancários e a sociedade vão pressionar para fortalecer o banco e mantê-lo público. Nós, os bancários, não somos culpados pelas filas e não aceitaremos a privatização.

Chega de reduzir caixas nas agências, de cobrar metas abusivas, de reduzir o horário de atendimento do Banrifone. Administre o banco para os gaúchos, não para um governo ou governador que quer passar tudo nos cobres. Até agora, a diretoria do Banrisul está sendo conhecida como aquela que, em 100 dias, não fez nada.

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER