• Home  /
  • Noticias   / Bancos   /
  • SindBancários protocola pauta de reivindicações específica à diretoria do BRDE e pede abertura de negociações

SindBancários protocola pauta de reivindicações específica à diretoria do BRDE e pede abertura de negociações

Depois de aprovarem a minuta de reivindicações específicas em assembleia nos três Estados da Região Sul (RS, SC e PR), os bancários do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) protocolaram, na terça-feira, 18/9, na sede do banco em Porto Alegre o conjunto de 12 pontos que pretendem negociar com a diretoria do banco. A minuta traz avanços num contexto de luta e resistência por direitos que a reforma trabalhista tentou retirar dos bancários. A resistência dos bancários conquistou a manutenção dos direitos históricos na Campanha Nacional 2018 e avançou com aumento real de 1,31% num acordo fechado com a Fenaban de dois anos.

Os colegas do BRDE já sabem que o acordo assinado com o Fenaban em 31 de agosto lhes garantiu benefício por dois anos, como aumento real de 1% no ano que vem, mas querem avançar em sua pauta específica. Por isso esperam que representantes da diretoria do BRDE tenham a sensibilidade de entrarem em contato com os representantes dos trabalhadores o mais breve possível para iniciar as reuniões. A negociação é o caminho para o avanço.

O diretor do SindBancários e um dos representantes dos trabalhadores na mesa de negociação, o bancário Paulo Stekel, diz que a pauta dos bancários é factível para a diretoria do banco em sua integralidade. “A grande maioria das cláusulas da pauta de reivindicação dos bancários do BRDE são propostas de manutenção de negociações para organizar a carreira dos trabalhadores. Também queremos manter mesas permanentes de negociação de aspectos relacionados à participação dos bancários em instituições que cuidam da saúde e melhoram as condições de trabalho. O banco pode atender toda a nossa pauta. Diria até que, no longo prazo, as cláusulas trazem lucro por motivar os trabalhadores a se sentirem parte integrante da formação das estratégias do banco público de fomento”, avaliou Stekel.

Entre as reivindicações estão cláusulas que pedem criação de Comissão Paritária de funcionários, diretores e dirigentes sindicais para a formatação e implementação do Plano de Carreira, acesso aos estudos realizados pelo banco sobre a implantação do plano de carreira, assim como cláusulas de saúde e de organização da jornada de trabalho. “A diretoria sabe da importância desse debate para avançarmos nos direitos dos trabalhadores e para garantir o papel do BRDE como banco público e com capacidade para ajudar a Região Sul crescer e superar crises”, acrescentou o presidente do SindBancários, Everton Gimenis.

Reivindicações da pauta específica dos bancários do BRDE

1) Criação de comissão paritária no prazo de 60 dias a contar da assinatura desse acordo para a elaboração de um novo plano de cargos, salários e carreiras do BRDE.

2) Acesso aos estudos sobre Planos de Cargos, Salários e Carreira – o BRDE proporcionará aos Sindicatos e aos Delegados Sindicais do banco acesso aos estudos a\ respeito da revisão, reformulação e consolidação das normas relativas a planos de cargos, salários e carreira, inclusive quanto a contribuições à entidade fechada de previdência complementar.

3) Garantia de plano odontológico na aposentadoria para todos os funcionários do BRDE.

4) Revisão e atualização do Plano Odontológico oferecido pelo BRDE.

5) Extensão do plano de saúde para os aposentados do RP II.

6) Acesso aos estudos sobre Plano de Saúde – o BRDE proporcionará os sindicatos e aos delegados sindicais os estudos que vêm sendo feitos sobre o Plano de Saúde.

7) O BRDE retomará, de imediato, os exames periódicos que estão sendo dispensados ultimamente.

8) Eleição direta de um dos diretores da Fundação BRDE de Previdência Complementar.

9) Eleição direta de um funcionário para o Conselho de Administração do BRDE, com mandato de dois anos.

10) Aumento da contribuição do patrocinador (BRDE) para o limite de 20% no ISBRE e retorno da participação de 11% para os funcionários do RPI.

11) Manutenção da cláusula dos delegados sindicais do acordo coletivo 2016-2018.

12) INTERVALO INTRAJORNADA – Para os funcionários com jornada contratual de 8 (oito) horas, o intervalo obrigatório para repouso e alimentação previsto na CLT poderá ser reduzido para, no mínimo, 30 (trinta) minutos. Para o funcionário que faz jornada de 6 horas será possível fazer intervalo de 30 minutos, desde que os primeiros 15 minutos sejam computados dentro da jornada e os outros 15 minutos serão computados além da jornada.

Parágrafo Primeiro – A alteração do intervalo prevista no caput é facultativa e dependerá da manifestação expressa de vontade do empregado.

Leia abaixo a íntegra da minuta da proposta de reivindicações dos bancários do BRDE

 

 

Fonte: Imprensa SindBancários

Escrito por Clóvis Victoria

Escrever um comentário