• Home  /
  • Noticias   / Bancos   /
  • Santander Bairro: FC o verdadeiro campeão de tudo imortal do futebol bancário

Santander Bairro: FC o verdadeiro campeão de tudo imortal do futebol bancário

Esqueça tudo o que você sabe sobre imortalidade no futebol. Vire a página daquilo que a crônica consagrada do futebol diz sobre tríplice coroa e time que fica na história. Tire esses conceitos repetidos à exaustão em rádio, televisão e internet porque os nossos colegas do Santander Bairro acabam de atualizar o novo código para tudo isso que você leu acima. Além de vencerem na final da Copa SindBancários de Futebol Sete os colegas do Itaú S.A., por 3 a 1, no sábado, 24/11, eles conquistaram o título da Copa Classe Trabalhadora, dois dias depois, na segunda-feira, 26/11.

A essa altura você pode estar achanado que não é um grande feito um time conquistar dois títulos de futebol amador em três dias. É por que você não estava na quadra de futebol Sete da Coball, em Canoas, no sábado, nem no Ginásio dos Metalúrgicos, na mesma Canoas, dois dias depois. Nossos colegas do Santander Bairro FC, se você ainda não se deu conta, conquistaram título em duas modalidades diferentes de futebol (sete e futsal).

Antes de contarmos a imortalidade, vamos a mais um fato histórico. A gurizada do Santander Bairro matou no peito e jogou na grama, na quadra de futsal e na grama sintética do sete todos os títulos. Tríplice coroa, né?! Avisamos. Eles ganharam todas as competições de futebol bancário organizadas pelo SindBancários no campo, no salão e no sete. E mais: sem perder nenhum jogo.

Está bem, você venceu. Nem essas conquistas invictas são suficientes para medir a proeza de que falávamos mais acima. Sim, porque agora você vai saber que, na noite da segunda-feira, 26/11, na final da Copa Classe Trabalhadora de Futsal 2018, o nosso campeão de tudo do ano também foi imortal. Se você souber que, faltando 1 minuto e 20 segundos para o jogo terminar o Santander Bairro FC perdia por 3 a 2 para o time dos metalúrgicos do C.C.D…

Então, surge a figura decisiva do goleiro Carlo Ribeiro. Na cobrança de um escanteio cavado pelo time bancário, ele consegue concluir e empata o jogo em 3 a 3. A bola vem ao centro do campo para saída do time metalúrgico. A mesa diz que agora faltam 34 segundos. É nesse pouco mais de metade de minuto que o campeonato se decide em favor dos bancários e que três gols são marcados.

Na saída da bola pelos companheiros do C.C.D. ocorre um erro. Os metalúrgicos, na ânsia de tentar vencer com um gol salvador no final, posicionam seu goleiro na lateral. Mas o passe atravessado é interceptado e cai no pé do goleiro Carlo. Com o gol vazio, do meio da quadra, ele faz 4 a 3 para o Santander Bairro FC.

A bola volta de novo ao centro para o já perdido time dos metalúrgicos. Então, posicionam o goleiro na lateral de novo para terem maior chance de conclusão. Agora, eles precisam empatar para levar o jogo aos pênaltis.

A 15 segundos do fim, a referência técnica do time, o ala Victório Santi, aproveita novo erro time metalúrgico na saída de bola e manda para o gol vazio. Na terceira nova saída para os metalúrgicos, o gol que sacramentaria o placar. A dois segundos do fim do jogo, a bola sobra para o goleiro Carlo que chita para o gol vazio do outro lado da quadra.

A derrota de 3 a 2 virou uma vitória de 6 a 3, com três gols em 34 segundos finais. Foi ou não foi um fato raro daqueles que só o futebol guarda para todos nós, amantes do esporte bretão? Poderíamos muio bem chamar nossos colegas do Santander Bairro FC de campeões imortais de tudo? Ah, podemos!

Quem viu os dois jogos, o da final do sete e do futsal, sabe que o Santander Bairro FC passou por maus bocados nas duas decisões. Os colegas do Itaú S.A. perderam muitos gols e podiam ter levantado a taça do futebol sete. E os metalúrgicos do C.C.D… Bem, esses eram campeões da Copa Classe Trabalhadora de Futsal 2018 a menos de dois minutos do fim. Não é preciso dizer mais nada.

Virada na artilharia

Nem tudo foram flores na caminhada do Santander Bairro FC rumo aos títulos. Os colegas do Metropol, ao conquistarem o terceiro lugar na Copa SindBancários de Futebol sete 2018, venceram por 7 a 1 o Bradesco Gravataí e conseguiram uma virada histórica. Aliás, o colega Thomas Henrich protagonizou uma virada histórica na artilharia. Até os 4 minutos da segunda etapa da decisão de terceiro e quarto lugares, a referência técnica do Santander Bairro FC, Victório Santi, era o goelador. A partir desse momento, Thomas fez quatro gols. Passou a 9 e, como Victório Santi não marcou na decisão do título, o jogo seguinte, permaneceu com oito.

Copa SindBancários de Futebol Sete

Sábado, 24/11

Decisão 3º e 4º lugares

Metropol 7×1 Bradesco Gravtaí

Final

Santander Bairro FC 3×1 Itaú S.A.

Campeão

Santander Bairro FC

Vice-campeão

Itaú S.A.

3º Colocado

Metropol

4º Colocado

Bradesco Gravataí

Goleador

Thomas Henrich (Metropol), com 9 gols

Goleiro menos vazado

Alexandre Nanes (Itaú S.A.)

Goleadores

Bradesco FC: 4 gols: Gregorio Arnecke, Douglas Appelt. 3 gols: Dair Fernando. 1 gol: Robson Marques, Roger Veber, Octavio Augusto,

União FC: 1 gol: Leo.

Santander Bairro: 8 gols: Victório Santi, Luis Fernando Amaro. Renan Bauer. 4 gols: Rafael Saraiva. 2 gols: Marcelo de Oliveira. 1 gol: Juliano da Costa, Pedro Laurent, Jeferson Martins, Victor Hugo, Ronaldo Ferri, Bruno da Silva, Ladimir Mazute.

NBC: 1 gol: Guilherme Maruk.

Itaú SA: 7 gols: Julian Tavares. 5 gols: Lucas Feijó, Lucas Velozo. 4 gols: Julio Baez. 2 gols: Guilherme Noal, Jean Cittadini. 1 gol: Thomaz Souza, Rodrigo Carvalho.

Bradesco Gravataí: 5 gols: Gabriel Macedônia. 2 gols: Rafael Eltz, Nikolas Santiago. 1 gol: Bruno Mathias, Lucas Pavan, Flavio da Rosa, Diego D’Ávila.

Metropol: 9 gols: Thomas Henrich. 4 gols: Guilherme Bueno. 2 gols: Rafael Herzer. 1 gol: Pablo de Lima, Sergio Grassi, Bruno Fraga.

Bacen FC: 2 gols: Pericles. 1 gol: Cassiano, Giuseppe, Bruno Ferrari, Douglas.

Crédito fotos: Jackson Zanini

Fonte: Imprensa SindBancários

Escrito por Clóvis Victoria

Escrever um comentário