• Home  /
  • Noticias   / Bancos   /
  • Mês de julho já registra o dobro de ataques a bancos em seus primeiros 12 dias em relação ao ano passado

Mês de julho já registra o dobro de ataques a bancos em seus primeiros 12 dias em relação ao ano passado

Depois que a Secretaria de Segurança do Estado se jactou em divulgar números de violência bancária que lhe favoreciam, um novo surto de ataques a agências bancárias faz dos primeiros 12 dias de julho de 2018 um mês tão violento quanto todo o sétimo mês do ano passado. Nos primeiros 12 dias deste ano, já ocorreram 10 ataques a bancos em todo o Estado, segundo o levantamento do SindBancários. No ano passado, nos primeiros 12 dias, houve cinco ataques a bancos no RS. Quer dizer que a violência bancária dobrou no início do sétimo mês do ano em todo o RS.

E a repercussão a gente já começa a sentir entre aqueles que trabalham em agências bancárias. Por exemplo, na manhã desta quinta-feira, 12/7, agência do Bradesco no Bairro São João em Porto Alegre, teve até refém. Três assaltantes armados invadiram a agência localizada na avenida Assis Brasil, bairro São João, e ali permaneceram entre 8h da manhã e 11h.

Sob a mira de revólveres, bancários, vigilantes e clientes ficaram sob a mira de revólveres por três horas até que o cofre fosse aberto. O mesmo ocorreu com agência do Bradesco de Gravataí. Os ladrões acessaram o interior dessa agência após arrombarem parede de uma concessionária de veículos vizinha durante a madrugada. E o que esses dois casos têm de semelhantes? Ora, o trauma que deixam nos colegas bancários e o medo que se naturaliza entre clientes vigilantes e que deixam consequências na saúde do trabalhador.

Por isso dirigentes do SindBancários foram até essas agências, garantiram a emissão da Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) e as mantiveram fechadas para que os colegas fossem para a casa por estarem sem condições psicológicas de trabalho. Os bancários estão preocupados com a violência bancária que aumentou muito este ano. “Estivemos nesses dois locais e o que vemos são colegas que ficam muito preocupados e com medo. Fomos garantir que o banco prestasse todo o auxílio necessário para que não houvesse algum trauma psicológico. Também colocamos o departamento de saúde do Sindicato à disposição”, enfatizou o diretor administrativo do SindBancários, Luis Soares.

Seleção de números e aumento da violência bancária

Se até as 18h esta quinta-feira, 12/7, julho registrou 10 ataques a bancos, ou seja, um ataque a banco a cada um dia e 5 horas, desde 1º de janeiro, o volume de 2018, segue tendência de aumento em relação ao mesmo período do ano passado. A violência bancária cresceu quando o assunto é somar furtos e assaltos. Foram 78 de 1º de janeiro deste ano a 12 de julho. No mesmo período do ano passado, ocorreram 67 ataques a bancos. Esse crescimento de 21 ataques em relação ao ano passado corresponde a aumento de 16,4% no volume de ataques no levantamento do SindBancários.

Relação de ataques a bancos no Rio Grande do Sul

Julho 2018

1. Dia 05: Banco do Brasil (Canguçu). Quadrilha provocou blecaute ao explodir transformador para invadir agências e abrir caixas eletrônicos com explosivos.

2. Dia 05: Banco do Brasil (Maximiliano de Almeida). Quadrilha explode agência em tentativa de arrombamento de madrugada e incendeia caminhão.

3, 4. Dia 05: Banco do Brasil e Banrisul (Jaquirana). Quadrilha ataca duas agências bancárias e uma lotérica e usa cordão humano para fugir com dinheiro. Novo Cangaço.

5. Dia 06: Itaú (Boa Vista do Incra). Criminosos invadem agência com o uso de explosivos para atacar caixas eletrônicos.

6. Dia 06: Santander (Novo Hamburgo). Criminosos assaltam agência no Centro, fogem com dinheiro e trocam tiros com a Brigada Militar.

7. Dia 06: Itaú (Canoas). Cliente é morto a tiro em agência nbo bairro Niterói em saidinha de banco.

8. Dia 09: Bradesco (Gravataí). Crominosos arrombam agência entrando por loja de veículos vizinha.

9. Dia 11: Banrisul (Sapiranga). Três assaltantes atacam posto bancário no centro. Proprietário reage, mata um criminoso e outro morre atingido pelo comparsa.

10. Dia 12: Bradesco (Porto Alegre). Assalto à mão armada com criminosos mantendo bancários, vigilantes e clientes.

Julho 2017

1. Dia 05: Bradesco (PoA). Tentativa fracassada de explosão de cofres de ag. na Av. Teresópolis na madrugada. Explosivos foram detonados pela BM. Poderiam atingir prédios vizinhos.

2 e 3. Dia 07: Sicredi e Banrisul (Jari). Tentativa de roubo dos caixas automáticos dos dois bancos vizinhos, na madrugada. Ladrões fugiram com coletes balísticos e revolveres dos vigias guardados em cofre.

4 . Dia 10: Sicredi (Barão). Ladrões atacaram agência e explodriam caixa eletrônico na madrugada.

5. Dia 10: Banrisul (Maratá). Mesma quadrilha atacou antes o Banrisul de Maratá, cidade vizinha a Barão. Usaram explosivos para abrir caixas e na fuga espalçharam miguelitos na pista.

6. Dia 18: Banco do Brasil (Paverama). Quadrilha explode três caixs automnáticos da agência. Na fuga, faz disparos na rua para atemorizar moradores.

7. Dia 28: Banrisul (Cristal). Cinco homens fortemente armados invadem agência na madrutgada e explodem três caixas.

8 e 9. Dia 29: (Gramado Xavier). Banrisul e Sicredi. Quatro homens armados invadem agências por volta da meia noite. Explodem cofres. Também roubam lotérica e lojas vizinhas.

10. Dia 31: Bradesco (PoA). Na madrugada, criminosos serram grades de janela traseira de ag. na esquina da Av. Sertório com Farrapos. Voltam para entrar depois mas são avistados e fogem.

Confira abaixo o levantamento dos ataques a bancos do SindBancários desde 2006

Fonte: Imprensa SindBancários

Escrito por Clóvis Victoria

Escrever um comentário