• Home  /
  • Noticias   / Bancos   / Banco do Brasil   /
  • Bancários fecham agência por descomissionamento arbitrário por conta da reestruturação do Banco do Brasil

Bancários fecham agência por descomissionamento arbitrário por conta da reestruturação do Banco do Brasil

A reestruturação no Banco do Brasil não é só uma realidade que afeta a estrutura do importante banco público. Das agências fechadas aos PDVs que ceifaram milhares de vagas de bancários e aumentaram a sobrecarga em de quem ficou, o desmonte do BB se amplia com uma medida arbitrária e absurda. Agora, a etapa do golpe do governo Temer nos bancos públicos passou a aparecer sob a forma de desomissionamentos. Por causa da medida que afeta a renda de funcionários, a Agência Estilo do BB, no bairro Higienópolis, em Porto Alegre, permaneceu fechada até o meio-dia da terça-feira, 17/10.

Funcionário do Banco do Brasil, o dirigente do SindBancários Rogério Rodrigues, contou que não há nenhum motivo aparante que justifique o corte de comissão de colegas. “É um absurdo o que o governo Temer está fazendo com uma instituição tão importante para o país como é o Banco do Brasil. Além da sobrecarga de trabalho que os colegas já têm que enfrentar por causa dos PDVs, agora a moda é cortar comissionamento. Vamos continuar de olho e realizando atos desse tipo cada vez que houver um ataque a direitos dos colegas”, avisou Rogério.

O também diretor do SindBancários, Jaílson Bueno Prodes, contou que tem sido cada vez mais frequente as denúncias de assédio moral e cobrança por metas abusivas dos colegas do BB junto ao Sindicato. “É isso que acontece quando um governo coloca na direção dos bancos de caráter público diretores que só pensam em operar o desmonte para fatiar e vender. Colegas já estão adoecendo por causa da reestruturação. Agora, chegou algo ainda mais grave. O descomissionamento é uma vergonha, um abuso porque ocorre sem aviso nenhum e muda a vida das famílias que têm compromisso coo escola dos filhos para pagar”, acrescentou Jaílson.

O diretor administrativo do Sindicato, Luis Soares, disse que a assessoria jurídica já foi informada, vai estudar os casos e tomar as medidas cabíveis. “Quando o assunto é descomissionamento, temos que analisar caso a caso. Mas, se for uma decisão de gestão que afete muitos colegas, nossa assessoria pode analisar os casos e estudar medidas adequadas”, explicou.

Fonte: Imprensa SindBancários

Escrito por Clóvis Victoria

Escrever um comentário